"O Tae Kwon Do não é só isso!"

    Como é presunçosa a razão humana! Conhecemos uma pessoa e de uma forma imediata já editamos um rótulo para aquela pessoa, qualificando-a boas, más... Bom! Não interessa. O que importa é que temos que ser humildes e pacientes com o interesse de que, com estudo e verdadeiras informações coesas, possamos realmente fazer declarações contundentes e bem respaldadas de uma pessoa que estamos conhecendo e dividindo uma pequena existência. Assim é com a nossa arte, o Taekwondo. Se treinarmos por 5, 10, 20, 30 ou até mais de 40 anos, não podemos dizer que ela é assim como vemos pela mídia esportiva nesses dias. Sejamos humildes e não enquadremos ou rotulemos o Taekwondo somente como “Taekwondo Olímpico”, ele é mais que isso e será para todos os que ousarem vestir um DOBOK e alcançarem uma determinada graduação, que a mesma os leve a cada vez conhecê-la mais e mais, absorvendo toda a sua grandeza sabendo que a existência de um homem não é suficiente para aprender tudo que essa arte marcial tem para nos ensinar e mesmo que você não tenha forças no corpo e no espírito para absorver e treinar os valiosos ensinamentos e métodos. Não critique quem o está fazendo e empunha esta bandeira do Taekwondo Marcial com amor e dedicação como nós estamos fazendo. Pois nosso interesse é fazer o Taekwondo brilhar não somente em uma Olimpíada, mas sim, combatendo com respeito e honra com qualquer outra arte marcial, resgatando o verdadeiro código dos guerreiros “Hawa Hang Do”, defendendo sua nação contra invasores que vinham com outros conhecimentos nas artes de lutar e guerrear pelas terras da Coréia. Hoje é mais um dia que vivemos para continuar com treinos, métodos e regras que vão além de jogos olímpicos e assim continuamos com esse legado maravilhoso dos verdadeiros mestres medievais, que já descansam honradamente, por terem nos deixado esse tesouro, o Taekwondo.

Força física e mental aliadas com a técnica necessária para formação de um guerreiro, Demonstração com soldados Norte Coreanos e uso de técnicas do Tae kwon do (assista o vídeo abaixo)


Pedro C. Meireles
Presidente da ABTKDM

    

Editorial - "TAE KWONDO MARCIAL"

    Acho que é um sonho de um lutador praticante de qualquer arte marcial, poder conquistar honras, méritos em competições, e até uma medalha tão sonhada, a olímpica. Mas devemos abrir nossas mentes e indagar: Será que a arte que treino é realmente eficiente comparando com outras Artes Marciais? Pensando Nisso! Consideremos a questão: Será que todos que treinam terão uma chance em uma grande competição ou todos irão participar de uma olimpíada? Claro que não! Sendo assim, temos a obrigação como Professores e Mestres de garantir um treinamento de um valor real que garanta também a segurança individual de cada aluno, a confiança de que o seu treinamento é eficiente e tem o poder de ajudá-lo em uma situação onde terá que se defender em uma circunstância onde, ou usa-se o que sabe ou é subjugado, as vezes infelizmente, fatalmente.

    Essa é a proposta do Taekowndo Marcial, não prometemos sonhos olímpicos, mas, asseguramos 100% de eficiencia a todos os praticantes que venham fazer parte do nosso grupo ou melhor dizendo: Nossa Família.


Pedro C. Meireles
Presidente da ABTKDM

    

Editorial - "A FARRA DO DAN"

    Na implantação, início dos segmentos das "artes marciais", vivia-se o glamour em sonhar com a primeira faixa recebida e depois de um caminho árduo de treinamento se almejava a tão famosa faixa preta, e o fato de ser faixa preta era uma responsabilidade sem igual, a quem ostentava tal honra de ser conhecido pelo título "ele (a) é faixa preta", mas com o tempo naturalmente viriam os famosos DAN's, os quais são lícitos e honrosos para quem trabalha como competidor ou difusor de sua arte marcial, sendo ela qual for. E hoje de uma maneira banal e com uma única explicação capitalista das entidades e seus diretores, e, de forma política egocêntrica, "quem paga recebe". E é ostentado de uma forma arrogante e presunçosa o mestrado em determinada arte marcial! Atropelando todo real reconhecimento que é ter uma história como competidor ou um digno difusor de sua arte com alunos que se espelhem em um real mestre que é revestido de autoridade e poder, mas antes disso se doando em prol do crescimento e a propagação de sua arte se tornando exemplo de humildade, lealdade, e um grande senso do que é certo dizendo sim quando se deve e não quando se precisa.

    Enfim, amigos praticantes das artes marciais, seje você o seu primeiro avaliador e não atropele os benefícios que só os anos podem dar, e, aguarde humildemente a sua hora e a sua vez, pois, como está escrito nas escrituras sagradas da bíblia "não seje seus lábios que te louvem", aguarde que seu reconhecimento virá como uma boa conseqüência, enquanto isso: trabalhe, treine, aprenda, produza!


Pedro C. Meireles
Presidente da ABTKDM

    

História - O Tae Kwon Do dos Coreanos

Hoje, os esportes de lutas orientais são muito populares entre nós. Os ocidentes aderiram totalmente às chamadas artes marciais - Kung-Fu da China, o Karatê do Japão e o Tae Kwon Do da Coréia.

Nos tempos primitivos, não importa onde vivessem, os homens tinham que desenvolver técnicas pessoais de luta para obterem o alimento e se defenderem contra inimigos, inclusive animais selvagens. Tinham, também, que inventar armas, de forma a tornar efetiva a defesa e facilitar a subsistência.

Mesmo após a invenção das armas, contudo, o homem nunca deixou de promover o desenvolvimento do corpo e da mente, através da prática de diversas modalidades esportivas ou marciais, especialmente na forma de ritos religiosos.

O Tae kwon Do (pronuncia-se "tê-quan-dô"), cuja tradução significa "a arte de usar os pés e as mãos na luta", surgiu na Coréia, há cerca de 1.300 anos. É a mais antiga das artes marciais, tendo provavelmente originado ou influenciado no surgimento das outras, conforme alguns documentos históricos e gravuras encontrados em túmulos e paredes de templos naquele país.Mapa JangKwon

Em 670 A.D., a Coréia era dividida em três Reinos: Silla, Kogurryo e Baek Je. Silla, o menor deles, era constantemente invadido e saqueada pelos dois vizinhos e, durante o reinado de Chin Heung, os jovens aristocratas e os militares formaram uma tropa da elite, chamada Hwa Rang-do (similar aos samurais, no Japão, e aos cavaleiros andantes da Idade Média, no Ocidente). Essa tropa guerreira - em complemento ao treino normal com lanças, arco e flecha, espada - também se adestrou na prática da disciplina mental, física e em várias formas de lutas com os pés e as mãos - o Soo-Bak e outras. Para endurecer os corpos, escalaram montanhas escarpadas, nadaram em rios turbulentos nos meses frios e difundindo técnicas com uso de chutes enfatizando a maior potência dos membros inferiores, obtendo maior êxito nas batalhas contra os invasores: o treinamento se resumia em golpes contundentes ao ponto de atingir os inimigos além das armaduras feitas de bambu, concentrando-se impiedosamente na tarefa de defender sua terra. Seu código de honra (ou espírito do Hwa Rang-Do) era constituído de 5 Itens:

    

    1 - Obediência ao Rei

    2 - Respeito aos país

    3 - Lealdade para com os amigos

    4 - Nunca recuar ante o inimigo

    5 - Só matar quando não houver alternativa

    

O Comandante do Hwa Rang-Do era o General Kim Yu Shim. E o Tae kwon Do nasceu oficialmente naquele ano, na cidade de Surabul (pronuncia-se "Soroból"), com o nome de Tae Kyon ("chuta pulando"). Hoje, Surabul tem o nome de Kyung-Ju.

Alguns historiadores porém, consideram o TAE KWON DO mais antigo ainda, pois o TAE KYON foi o aprimoramento de várias lutas antigas entre as quais o SOO BAK. Em 1935, um grupo de arqueólogos japoneses, pesquisando uma dessas tumbas, encontrou uma pintura que representava dois homens defrontando numa posição de SOO BAK. Referindo-se a esta e outras pinturas, o historiador japonês, Tatashi Saito, no seu livro "Estudo da Cultura da Coréia Antiga", diz o seguinte: "A pintura nos mostra que ou a pessoa ali enterrada praticava o TAE KWON DO em vida ou o povo da época praticava, ao lado de danças e cantos, com o propósito de consolar a alma dos mortos".

A época de construção das tumbas foi o período que vai de 3 A.D. a 427 A.D., durante o qual a província de Hwan-Do permaneceu como a capital do Koguryo. Pode deduzir-se daí que os coreanos praticavam o TAE KWON DO naquele período.Taekyon Livro

Algumas pessoas acreditam que o TAE KWON DO tenha se originado do KUNG FU, a arte chinesa de defesa pessoal. Conforme manuscritos chineses, acredita-se que tal arte tenha origem, como uma espécie de exercício físico, quando o famoso monge budista Daruma Daesa o ensinou aos monges de Xaolin, templo budista do condado de Tungpung, na província de Ho-Nam na China. Daruma chegou à China por volta de 520 A.D. e ali passou nove anos, no templo Xaolin, onde introduziu a prática do KUNG-FU, cujo nome significa "estudo", "sabedoria", "habilidade", ou ainda "arte marcial".

Se lembrarmos que as pinturas murais de TAE KWON DO encontradas nas tumbas datam do período entre 3 e 427 A.D. concluiremos que é impossível o TAE KWON DO dever sua origem ao KUNG-FU chinês.

Outros pensam ser o TAE KWO DO um estilo ou variedade do KARATÊ, a arte marcial japonesa. Não se sabe, contudo, as origens exatas do KARATÊ. Existem duas correntes de pensamento. Uma diz que um mestre chinês chamado Chen Yuan Pin, que teria vivido nos fins da dinastia Song, (cerca de 1.100 A.D.), teria se naturalizado japonês e ensinado técnicas de KUNG-FU ao povo daquele país. Outra afirma ser o KARATÊ uma forma desenvolvida do OKI-NAWA-TE, luta praticada pelos habitantes de Okinawa.

A origem de OKINAWA-TE também é desconhecida. Os Arquivos - Históricos de Chosun (Dinastia YI) dizem apenas que "enviados das ilhas Ryu-Kyu (Okinawa) vinham, frequentemente, pagar tributos aos Reis de Chosun (Coréia).

Aquela época, como vimos anteriormente, o SOO BAK (forma de TAE KWON DO) tinha grande popularidade, donde é lícito supor que os enviados de Okinawa tenham aprendido o SOO BAK e o introduzido em seu país. Tal especulação é tanto mais lógica quando lembramos que o "NUL" (modalidade folclórica coreana) foi igualmente adotado, nas mesmas condições, pelo povo de Okinawa.

Donde se conclui, portanto, que o KARATÊ japonês seria derivado do TAE KYON ou SOO BAK, formas primitivas de TAE KWON DO.

Todos estes fatos demonstram que o TAE KWON DO não é apenas uma técnica originária da Coréia - ele também se desenvolveu independentemente durante longo período histórico.

O Karatê conseguiu mais projeção e popularidade porque, de 1909 a 1945, a Coréia foi invadida e ocupada pelo Japão.

Durante esses 36 anos da ocupação japonesa, toda a cultura coreana permaneceu estagnada, pois os invasores proibiram a prática do Tae Kyon além de outras artes. Foi neste período que o Karatê começou a ser difundido pelo mundo, tendo sido introduzido na Coréia em 1921.

Quando o Japão foi derrotado na Segunda Guerra Mundial (1945), os coreanos voltaram a treinar o Tae Kyon de forma ostensiva (pois nunca deixaram de treinar clandestinamente) e, dez anos depois, durante a Guerra Choi Hong Hi, juntou esforços e, após diversas dissidências, conseguiu em 1955, a união das diversas escolas e estilos, sendo adotado o nome de Tae Kwon Do.

O 1º Campeonato de Tae Kwon Do no mundo só foi realizado em 1964, na Coréia. E explica-se da seguinte maneira: o Tae Kwon Do foi criado para a desfesa de seu país, e sua filosofia não era a luta. Só se empregava como último recurso. Mas como o Karatê e outros esportes motivavam o público através de torneios e competições, os dirigentes do Tae Kwon Do, no intuito de divulga-lo começaram também a criar competições.

    

Você que pratica Tae Kwon Do, fica feliz com isso: (assista o vídeo abaixo)

Se a resposta é sim, continue treinando o Tae Kwon Do Olímpico, mas se esses vídeos impactaram e deixaram vocês, lutadores sérios de Tae Kwon Do, constrangidos e humilhados com o que atualmente é ensinado e pregado como “arte marcial eficiente”, saiba que nós da Associação Brasileira de Tae Kwon Do Marcial, estamos resgatando com fidelidade o “Tae Kwon Do Marcial” que traduz as antigas regras onde se busca verdadeiramente o nocaute, com méritos da arte marcial que se usa punhos e principalmente chutes com eficiência usando somente bocal e genital como protetores, valendo chutes na cabeça, tórax e pernas, salvo no joelho e socos no tórax. (assista o vídeo abaixo)

TAN-LION-DE: Muito importante para o Tae Kwon Do Marcial, com a finalidade de calejar e fortalecer o corpo, ossos das partes do corpo usados para ataque e defesa - (Fonte: LIVRO APRENDA TAEKWONDO - Mestre Woo-Jae Lee/Luis B. Mergulhão Filho). (assista o vídeo abaixo)

Entre em contato conosco através do nosso e-mail e ficaremos felizes em responder suas perguntas e esclarecer quaisquer outras dúvidas.

Atenciosamente;
Pedro C. Meireles
Presidente da ABTKDM

Notícias

Graduação 2017

FEV06 2017

Mestre Pedro MeirelesNo último dia 06 de fevereiro do ano de 2017, o Professor Pedro Meireles foi promovido ao 5º DAN DE TAEKWONDO MARCIAL, sendo reconhecido como Mestre pela CBMA, CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CULTURA E ARTES MARCIAIS. Ao lado Pedro Meireles recebendo o certificado de graduação do Mestre Marley Mendonça

Campeonato 2014

AGO 31 2014

    Neste último dia 31 de agosto de 2014, foi realizado o Campeonato de Karatê no Ginásio do CAVE, no Guará I, onde o Taekwondo Marcial Participou nos estilos Shiai Kumite ( Infantil ) e Karatê de Contato ( Uechi Ryu ) para adultos. Clique para ver as fotos

INFANTIL:

  • Lucas Lopes - 1º Colocado
  • Sophia Lopes - 1º Colocado
  • Sophia Asano - 2º Colocado
  • Marcos Oliveira - 3º Colocado

ADULTO:

  • Diego Santos Vieira - 2º Colocado

Campeonato 2011

Klinger Santiago - 21 anos, 67 kilos - Faixa Preta



    Depois de fazer uma ótima luta, o atleta Klinger Santiago teve que passar por uma prova de fogo lutando a final do campeonato Brasiliense de Karatê de Contato com um adversário 17 kilos mais pesado, e sendo um verdadeiro HWA HANG DO = Guerreiro, disputou a luta firme e bravamente. Parabéns Klinger!





2º Exame de Taekwondo Marcial de 2009

DEZ19 2009

Foi realizado o 2º exame de Taekwondo Marcial na academia Fit Club no Guará I, no dia 19/12/2009, graduando os seguintes alunos:

  • Klinger Santiago - Faixa Preta (FOTO)
















A mesa examinadora contou com a honrosa presença de:

  • Profº. Ricardo Biannaf - Faixa Preta 2º DAN Taekwondo
  • Profº. Moacir Soares - Faixa Preta 1º DAN Taekwondo

Campeonato Brasileiro de 2004

JAN 20 2007

Campeonato 2004 Moa e PedroNo último mês de Junho do ano de 2004, foi realizado no Ginásio Nilson Nelson o Campeonato Brasileiro de Artes Marciais, onde o atleta Moacir Soares da Costa Júnior, ficando em segundo lugar em sua categoria de peso e faixa, perdendo por pontos para o campeão do ano de 2003, mostrando assim a eficiência do Tae Kwon Do Marcial. Pois esta competição foi disputada nas regras do Full Contact.

Reportando assim nos sentimos orgulhosos e otimistas, pois a cada dia estão surgindo mais adeptos ao treinamento do TKDM, fortalecendo nossas expectativas para os próximos campeonatos.

Nós reavivamos o que a maioria rejeitou e por  amar o Tae Kwon Do... Veja as fotos da equipe e dos treinamentos do Tae Kwon Do Marcial Assista aos vídeos de demonstração do Tae Kwon Do Marcial

Patrocinador:

Filiação

A Associação Brasileira de Tae Kwon Do Marcial (ABTKDM) filiada e amparada pela Confederação Brasileira de Cultura e Artes Marciais (CBMA), que por sua vez filiada a Confederação Internacional Wolrd Kickboxing Association (WKA)

Parceiros:

Nomes dos Praticantes do Tae Kwon Do Marcial

Pedro C. Meireles - Faixa Preta 3º Dan
Ricardo Assis Sá - Faixa Preta 3º Dan
Marco Antonio de S. Silva - Faixa Preta 2º Dan
Ladislau Souto Neto - Faixa Preta 1º Dan
Moacir S. Costa Jr. - Faixa Preta 1º Dan
Klinger S. dos Santos - Faixa Preta 1º Dan
Warllen Paraguassu - Faixa Preta 1º Dan
Diego Santos Vieira - Faixa Preta 1º Dan
Pericles Mendonça Jr. - Faixa Vermelha
Augusto Nicolau - Faixa Vermelha
Jhones Felipe Mendes - Faixa Vermelha
Gerion José de Souza - Faixa Vermelha
Hercules Carpaneda Neto - Faixa Vermelha
Carlos Alberto Ribeiro - Faixa Vermelha
Mauricio Sales da Silva - Faixa Vermelha
Marcos A. Pereira da Silva - Faixa Vermelha
Plinio Amorim de Sousa - Faixa Vermelha ( em reconhecimento )
Pedro Lucas Pinheiro - Faixa Azul
Eduardo H.da Piedade - Faixa Azul
Marcos Vinicius O. da Costa - Faixa Azul
Murilo V. B. Andrade - Faixa Azul
Shigueru S. Junior - Faixa Azul
Felipe Kennedy - Faixa Verde
Paula Giselle Mathias - Faixa Verde
Bruno da Costa Sá - Faixa Verde
Edilane Gomes Dias - Faixa Verde
Leonardo R. Vasconcelos - Faixa Verde
Paulo Egberto E. H. Jr. - Faixa Verde
Bruno Rosinha Cantarino - Faixa Verde
Matheus O. Machado - Faixa Verde
Wilson C. Costa - Faixa Verde
Anna Karoliny M. de Araujo - Faixa Verde
Daniel de Matos Martins - Faixa Verde
Ítalo Ferreira dos Santos - Faixa Verde
Caio Rodrigo de A. Silva - Faixa Verde
Paula da Cunha Araújo - Faixa Verde
Christyan B. Shintaku - Faixa Verde
Ana G. Pinheiro - Faixa Amarela
Caio Leal - Faixa Amarela
Renato Filho X. de Paula - Faixa Amarela
Evilasia Ayl Marinho - Faixa Amarela
Wilson Sherer Jr. - Faixa Amarela
Livia Thais B. da Silva - Faixa Amarela
Edney Lima Viana - Faixa Amarela
Ana Kissila G. Viana - Faixa Amarela
Gabriela R. Mesquita - Faixa Amarela
Alessandro M. Martinez - Faixa Amarela
Mirella da Silva Amorim - Faixa Amarela
Fernanda Netto Baris - Faixa Amarela
Rodrigo Martins Rocha - Faixa Amarela
Rande Braga dos Santos - Faixa Amarela
João Joca de S. Neto - Faixa Amarela
Pedro A. C. de Souza - Faixa Amarela
Bruna P. A. da Cruz - Faixa Amarela
Vânia A. Maranhão - Faixa Amarela